sábado, 20 de fevereiro de 2016

recorrente

ainda esse sonho lambe a janela
eu sobre qualquer bancada
atravessada por sua língua
e sua espada
dedos sob minha carne branca
plutão e proserpina
e antes da explosão do gozo
sua anasalada voz me acorda
como podes confundir?
nunca te ofereci
sementes de romã

(mas eu as vejo
escondidas debaixo dos cabelos
para a próxima deusa
com  vocação para espelho)

NSL
20/02/16


Nenhum comentário:

Postar um comentário