segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Visita

vida, vê se me devolve
as valas erodidas pela chuva
os tuneis de mato, de hera 
para eu explorar com o cachorro

vida, me dê um dia de chuva
uma estrada de terra vermelha
onde os pés não doam 
e o corpo se alegre em caminhar

vida, me devolva a perna de pau
o carrinho de rolimã
o short jeans cortado nas coxas
para eu ser menina-moça outra vez

vida, me devolva o batom vermelho
o primeiro, o salto alto
a primeira vez que cantei em inglês 
o if you're not here

Hoje a saudade veio me visitar
querendo brincar
e eu desaprendi, vida
minha dor é tanta
que sou capaz de morrer 

N.S.L.
30/09/13


sábado, 28 de setembro de 2013

Dança para acordar a luz


palmilhar 
zonas de afeto
uma coreografia
inventada
dançar 
ou recolher no quintal
uma chama de fogueira
um pulo de lagarto
um pouso de pássaro

ignorar
zonas de sombras
flutuar sob retas 
de um raio de sol

N.S.L.
28/09/13
Recorte fiel da realidade. Pensando isto cá comigo. 


Foto de Norma Alves

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Eu e a Carol Souza agorinha mesmo:
_ Que bom, amanhã é sexta!
_ Viva o dia. Agente caminha para a morte.
_ Credo mamãe!
_ Verdade. Perseguimos as sexta, o recesso, as férias e nos esquecemos que fora do agora só resta a morte.
Admirar o design das embalagens de shampo sem lembrar a grande quantidade de energia que vai para o lixo talvez fosse bom.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

até hoje


naquela noite você me cercou em teus braços
e me prendeu num abraço 
que dura até hoje
logo eu, que sempre achei tão deselegante 
que uma mulher ame excessivamente 
a um homem

até você chegar 
gente incapaz de me amar
contaminava minhas melhores canções
hoje tudo que ouço 
soa repleto de presença







N.S.L.
25/09/13

sábado, 21 de setembro de 2013

Cortesia

meu vizinho não me cumprimenta
compartilha árvores
cultiva um imenso pé de amora
onde moram passarinhos

agora por exemplo
uma mamãe bico-de-lata
e seus biquinhos-de-lata
pintam de vermelho
meu terreiro
comendo frutinhas 

N.S.L
21/09/13
Gosto do X para dizer todos os gêneros, como no exemplo "meninxs". No X prepondera o feminino. Gosto porque acho o feminino muito importante para o humano. Nele mora o ethos de  proteção ao vínculo, exercício fundamental à continuidade do ser no planeta. 

Vavá

me vi sem você 
outro dia
a saudade doendo
e você ali do meu lado

falo quase sem ouvir
as consoantes  fricativas
do teu nome
a transa dos lábios
com os dentes
é que me lembram

teu modo de enrodilhar a fome
a volta na cozinha
no quarteirão
até que o aroma das panelas
instale a fome

você tece a liberdade 
de um modo que me leva a ser
tua presença 
em forma de risada
me preenche

a fome da tua falta 
me assusta tanto
que não concebo outra vida
mesmo quando ela 
me manda flores

N.S.L
21/09/13

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Enquanto ainda somos dois

não cabem três pessoas felizes
em histórias de amor
e por mais que eu queira evitar
sempre me comove
aquela que ficou sem par

homens são lançados como pedra
mulheres são costuradas com linha
ensino meu homem a destecer
ele me mostra como quicar sobre a água
enquanto ainda somos dois

N.S.L
20/09/13

Carícia

nenhuma verdade me vale
tudo desliza sob meus olhos
me tira o chão

beije-me, homem
corra sobre mim
a tua mão

único deslize 
que não me provoca
vertigem

N.S.L
20/09/13

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

todos sou eu

por amar os poemas de  Dylan Thomas
Zimmerman presenteou-se 
com o nome Bob Dylan

eu fiquei Norma mesmo

Eliot, William 
Carlos, Fernando
não me pareciam 
nomes adequados para mulher

N.S.L.
19/09/13

Para viver mais

você não vai mudar o mundo, boneca
mude os móveis de lugar

esta onda de sucesso são alteres
e você nem gosta de malhar

nasceu de carne, desencana 
deste barato de boneca de porcelana

se não der para ser heroína
seja uma esplêndida ruína

se for ao chão, caia com graça 
chore com charme
eu sempre soube que palhaços são tristes
e o mundo é um circo, ragazza

N.S.L
19/09/13

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Propensa

ser mulher é ser feita 
dessa fibra tensa
dessa fibra tenra 

tão sensível 
que se entende
se agrupa

parcial sempre 
pende para o lado 
que parece mais fraco

N.S.L.
17/09/13

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

domingo, 15 de setembro de 2013

Impessoal

sobre o criado
um copo d'água
óculos de grau
e uma dentadura
seca

sob a terra
os olhos
a boca
jazem
seus donos
sem sonhos

N.S.L.
15/09/13

Imagem

Era um homem feminista
foi feminista
até que não quis mais sua mulher
e eu não deveria dizer sua
deveria dizer
até que não quis mais uma mulher

N.S.L
15/09/13


Vez ou outra Gwenever reaparece e me ordena:
    __  Mulher, vire a cabeça! Os olhos só veem metade do mundo. 
Nada melhor que uma lagartixa de estimação para acordar meu réptil interior. 

N. S. L.
15/09/13

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Sapos

Quem quer saber
sobre sapos
Marianne Moore?

Quero é o caco afiado
o que sobra quando o outro
me destroça

Esses ordinários
fazedores de números
ladrões de alma

Por aqui 
os sapos se instalam
na garganta

Sapos não.

Vou estudar pegadas 
de lobo
nascer o lobinho
do livro da historia
de Esparta

N.S.L.
12/09/13

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Boneca de Porcelana

Mentiras
auto-engano
tudo para 
se sentir normal

Afinal
ela é o melhor ser
do mundo
como poderia
se preterir?

Mas à noite
ela chora
e sussurra a verdade
para seu homem

Não
nem pra ele
ela pode revelar
o inominável

Chora só
no chuveiro
onde lágrima
e água
se disfarçam

Só, ela pode  chorar
a farsa de ser
uma boneca de porcelana

N.S.L
10/09/13

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

sábado, 7 de setembro de 2013

A iminência de voltar a Itabira sob tutela dos projeto  "Caminhos Drummondianos" me faz voltar a esta que talvez seja minha maior referência. A poesia de Drummond foi a primeira que se insinuou a mim como possibilidade de significação do mundo. Comungo com ele tudo que apresentou em "Alguma Poesia", "Sentimento do Mundo", "A Rosa do Povo", "Claro Enigma", "Boitempo" e tantos outros. Como ele venho saltando do   idealismo para a desilusão, do presente para o passado,  da velhice para a infância. 

Hoje eu vou ficar como "Consolo na Praia". Pra me lembrar que nem cão eu tenho. 

Vamos, não chores.
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.

O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.

Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis carro, navio, terra.
Mas tens um cão.

Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?

A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.

Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento…
Dorme, meu filho.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Como sou mosca, só sei zumbir. Me recuso a zumbizar. Bora arranhar as grades da masmorra. 

N.S.L.
06/09/13

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Estou cansada de convidar para mudar a escola, deixar de ser gado. Estou cansada de pedir para diminuir o consumo, respeitar o corpo como ele é. Estou cansada de pedir que leiam o que eu escrevo sobre isso. Agora vou pedir quem lambam. Tem gente que ainda não saiu da fase egocêntrica, da fase oral.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Bovina

erguer os cornos acima da manada
erguer os cornos acima 
erguer os cornos
erguer

Compreender que o leite é para todos
compreender o leite 
compreender

N.S.L.
04/09/13


segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Cunha

o monstro mostra o olho 
e uma ponta de unha 
e o mundo já arma
seus remédios
quisera
enlouquecer
em paz

Grave

Quando os dedos nodosos
do trabalho sem sentido
espremem meu cérebro
me sinto tão doente
que só faço chorar

Como segurar o tempo
e ensinar meu leãozinho 
a crescer devagar?

N.S.L
02/09/13

domingo, 1 de setembro de 2013

São ideias. E elas explodem como supernovas. E se ao invés de ensinar a encontrar padrões nós ensinássemos a produzir variações?

N.S.L.
01/09/13