quinta-feira, 31 de março de 2016

depois da cavidades

abro a janela e sharzam
nada como ser dona 
de um horizonte inteirinho
que se abre todo dia 
como mágica diante de mim 

um coqueiro, abacateiros, 
acerolas, galinhas, bananeiras
à noite, morros salpicados de luzes coloridas 

NSL
31/03/16

segunda-feira, 28 de março de 2016

Dos riscos de se ter um filho muito competitivo

Dos riscos de se ter um filho muito competitivo

Daí que o Lucas Mateus desafiou o Tiago, ou o Tiago desafiou o Lucas para uma corrida na Alameda Ezequiel Dias, às  margens do parque municipal de Belo Horizonte valendo R$ 50,00 para quem vencesse. Como era de se esperar, em três minutos dois policiais de moto param Tiago e apontam uma arma em sua cara. Ele vencia a corrida à frente de Lucas. 
Revistam Tiago, chacoalham os testículos de Lucas em busca de arma ou drogas e perguntam:
_ Você tem passagem?
Ao que ele responde rapidamente
_ R$ 2,80 no cartão BHBUS
Primeira colada de cara na grade do parque.(Lucas)
_ Por que vocês estão correndo? 
_ Nós apostamos R$ 50,00. (segunda colada de cara na grade do parque. (Tiago)
_ Deixa ver o dinheiro.
Eles mostram as notas.
_ Para onde estão indo?
_ Damos manutenção em ar condicionado no Hospital Israel Pinheiro.
_ Circulando que nos vamos seguir vocês.
Na porta do hospital os colegas aguardam e duvidam da história. Isso só até os policiais estacionarem rente a eles, bufando de raiva. 
_ Esses dois são retardados?
Suponho que os colegas tenham respondido que sim.
E o Lucas?
Tá feliz por que disse que, não fosse a policia, tinha perdido a corrida e o dinheiro porque o Tiago saiu na frente. 

domingo, 20 de março de 2016

de mim ninguém sai com fome

enquanto os algozes da  república
seguem perpetuando campanhas eleitorais
e golpes de estado no jornal que uso
para limpar os vidros da janela da sala
abraço pássaros, borboletas
lobos e carpas
de mim ninguém sai com fome

o ódio borrifou 
gotas de ralph lauren
em pulsos armados de taças
e eles as desperdiçam
sendo fotografados 
com mendigos nas calçadas

não é preciso dizer 
a palavra lâmina
para saber o corte
preparo coquetéis molotov inócuos
por receio de incendiar os jardins
sem culpa dos edifícios de luxo

eles acertaram em cheio
nesse buraco vazio
das torcidas organizadas
mas ainda tenho esperanças
nem toda palavra encarna

casual

manter os cabelos curtos
o rosto em tridimensão
despir de cenários a coisa toda
impor o silêncio
para ouvir a sonoplastia triste
de corpos que se tocam
sem se amar
evitar contrastes gritantes
servir-se da penumbra 
para que os corpos 
sejam apenas corpos
selvagens e famintos
em busca dos segundos
que os façam esquecer
o bem, o mal e o medo




quarta-feira, 16 de março de 2016

moldura

vender meus pedaços por atacado 
porque perdi o manual
ser a tarde
o parapeito
a janela 
e o salto
ser a água 
e dormir na horizontal

NSL
16/03/16

terça-feira, 15 de março de 2016

parada no tempo

na ponta de seus dedos parada no tempo 
parada no tempo
locomotiva lenta borboletas planam
de um lado ao outro do vagão 
o bebê chora na casa ao lado e de repente existe
eu choro e de repente existo 
um poema que não não me mate
a cal, o sol, eu na ponta de seus dedos 
parada no tempo

NSL
15/03/19


sexta-feira, 11 de março de 2016

jogue no lixo seu manual de salvação

não se iluda
saber usar a caixa de areia

não torna você melhor que uma alga
ou uma caixa de abóboras

escrevo nesta agenda que você já não existe

desde 09 de março de 2016
você não existe
pouco adianta eu estar tão triste
no seu lugar
lágrimas, cortejos e gente que você detestava
abraçando seus familiares
dizendo que você fumava demais
ignorando o quanto você trabalhava
para que outros descansassem

queria escrever seu nome completo
fazê-la existir um pouco mais
teve aquele vizinho com quem eu gritei
por ele ter dito
que você só acabou de cair
"é preciso ter reverência com os mortos"
principalmente com os que passaram a vida
cuidando em serem bons

terça-feira, 8 de março de 2016

o pior do amor é isso

venho cortar os dedos do primeiro
que me roubou a fé
que me roubou a casa

venho cortar os braços do segundo
que me roubou a honra
que me roubou a alegria

venho cortar as pernas do terceiro
que me roubou a saúde
que me roubou a confiança

o pior do amor é isso
me joga com violência no mundo
com esses filhos pendurados
nas escadeiras 

o pior do amor é isso
me ordenha o ódio
e corta e quebra em mim, e não neles
os pedaços

NSL
08/03/2016

sexta-feira, 4 de março de 2016

primeira pessoa

não são só as chuvas que chegam em março
também há o fisco e a primeira leitura
desanimada da lista de ano novo
em breve virão um arco-íris de cores das campanhas
para vigiar e impedir meu corpo de adoecer
mas eu já não me deixo cair no pecado das ideologias
queria tatuar nas ancas "primeira pessoa" em francês
mas première parece nome de diplomata
algumas canções enroscam-se em meu corpo
e deixam o toque sedoso do agora em meu tato
se terei hemorróidas  ou se de tanto bater
meu coração vai parar já não importa
parece-me que um dia sem ti
não devia ter esse barulho todo, queria mesmo
era uma caminhada silenciosa pelo centro
onde você me comprasse vestidos
e jurasse amor eterno

quinta-feira, 3 de março de 2016

em mim o amor

um ladrão
em busca de portas para arrombar

uma peruca aos pés de um calvo
que fica ali, baixa
entre os pés
quase a arrastar-se no chão
embaraçada entre os cadarços


em mim o amor amplia o oficio do irrespirável
instala uma corrente de chumbo em meu coração

impaciente, inconveniente, primitivo
repleto de testemunhas

NSL
03/03/16



quarta-feira, 2 de março de 2016

sensacional

pouse suas mãos 
e a ponta do nariz na quarta tela
e assim poderá ver como estão secos
meus lábios e meus dentes que sorriem
matei sem dó todos os gurus e tutores
e com eles morreu a felicidade gratuita
que me fazia crer em luz no fim do túnel
no lugar ficou uma lesão incurável 
restei órfã e sem alegria
se gosta de espetáculos grotescos
isto é algo sensacional para se ver

NSL
02/03/16