quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

o amor

sinto raiva mesmo é do amor
ajoelhado nos ladrilhos do banheiro
em flagrante felação
nem para exigir troca
o amor

entre os dedos do amor
debaixo de suas unhas
há sangue seco

o amor goza
até com castelo de cartas
com bilhete de loteria
não premiado

o amor, esse puto
esgotou seu último pedido
a minúscula nascente
que a ausência de convicção 
havia plantado em meu peito

NSL
26/02/15

Nenhum comentário:

Postar um comentário