sábado, 12 de outubro de 2013

Amalgama


eram índios das terras do norte
assim como sou a mulher do norte
apesar de - para aqueles índios -
não haver bússola
só havia tribo
e nesta tribo
havia um índio

um velho índio
em busca da Visão
(aqui eu quero me intrometer para dizer
que eu também sou uma velha índia 
em busca de uma visão) 


no alto de uma montanha 
este velho índio 
conversou com uma aranha
e a Aranha teceu
no aro do cipó
com o fio oferendado
de cabelo de cavalo
(aqui eu me intrometo novamente 
para lembrar que o velho índio 
poderia ter bebido o caldo do cipó)


na teia de cabelo 

tecida pela Aranha
vinha escrito coisas sobre ciclos
vida, nascimento e morte
e sobre forças
boas e más
e no meio do aro - o ciclo da vida- adivinha
vinha a ordem - Vá ensinar
seu povo a sonhar
(e aqui eu me intrometo pela última vez
para contar que depois da Visão
uma índia pode aprender que
ensinando a si mesma a sonhar
o índio e a aranha 
tornam-se um ser só)


N.S.L.

12/10/13




Nenhum comentário:

Postar um comentário