terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Resenha Elvis & Madona

Acabei de assistir Elvis & Madona de Marcelo Laffitte. Gostei muito do filme  e tive vários motivos para isso: 
- gosto muito de filme brasileiro;
-adoro a precariedade do baixo orçamento (ela me deixa mais próxima do esforço performático e mais longe do show de efeitos);
-o filme é bem humorado e tem final feliz 
- a temática é atualíssima.
Em resumo o filme trata da história de uma fotógrafa freelancer chamada Elvis (Simone Spoladore) que faz bico como entregadora de pizza. Ela conhece Madona (Igor Contrim), uma travesti que trabalha como cabeleireira. Madona sonha em produzir um show de teatro de revista. As duas se apaixonam e Elvis acaba grávida.
O inusitado do filme é a pergunta que a própria Elvis faz em determinado momento do filme: o que é normal para uma relação?  
O filme é mais um que me ajuda a separar aquela tríade que eu pensava inseparável: gênero, sexo e amor. Pista aberta para a dança das identidades.
Recomendo. 

N.S.L
18/12/12

2 comentários:

  1. Curto e conciso sua opinião, muito bom. É uma história curiosa, considerando os tempos, este estreante fita de Marcelo Laffitte poderia ser enquadrada mais como uma comédia romântica do que drama. Fiquei surpreso ao ver no elenco Simone Spoladore que está estrelando uma série altamente controversa chamada Magnífica 70, finalmente, voltar para o elenco deve dizer foram chave para o sucesso deste filme. Elvis & Madona é uma grata surpresa e faz jus aos prêmios que tem recebido. Conta uma boa história de amor possível (com seus percalços) e é ousado, abusado e angraçado. Não subestima a inteligência do espectador e muito menos provoca qualquer constrangimento sexo-sócio-cultural.

    ResponderExcluir