sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Falta de pai

Na barriga de minha mãe
meu pai plantou um poema
depois que o poema nasceu
não ficou para regá-lo

Cresci daninha
sem poda nem cortes
até ter raízes fortes
e casca bem dura

Agora que já sou poesia madura
veio me adubar com palavras

Você demorou, pai
não basta a semeadura
fez falta um regalo
um corte no caule
foi quando eu era verde

Norma de Souza Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário