terça-feira, 4 de abril de 2017

exílios

sob a via láctea prostrada
a lua minguante
como uma vaca
prestes a parir
eu aqui, ajudando
no trabalho de parto
dar a luz a um poema
que faça parar
a turbulência do universo

conta-gotas de sabão
para a bolha
que não estoura
uma faca
fatia os últimos acordes
de uma canção
e para onde eles vão
depois da última nota?

passou por aqui
uma tropa de bárbaros
nos estandartes rubros
dos batedores
bordado com fios
de delírio
seu nome, amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário