quinta-feira, 29 de maio de 2014

debulhar a palavra
letra a letra
enquanto os ponteiros
do relógio se arrastam
tentar esquecer
para onde  tempo
me leva
nunca calar
a voz é a percussão
do tempo
descer no lago da loucura
emergir reduzida a nada
quantas células perdi hoje?
quanta força perdi hoje?
quanto sonho perdi hoje?
quisera um amor avassalador
um que me arrancassem de mim
este esboço que me tornei

NSL
29/05/14

Nenhum comentário:

Postar um comentário