quarta-feira, 23 de maio de 2012

dia para enlouquecer

 


















assim como tenho
dias para luto
e para a limpeza de casa
aprendi a separar
um dia para enlouquecer

nesse dia 
corro desembestada
apago poemas 
desvairada 
arranho o verniz
arreganho os dentes
lanço a praga  
golfada arrotada
sobre quem não se deve 
odiar publicamente

nesse dia 
nenhum chá me cala
nenhuma pílula me acalma
nenhum trabalho me amarra
não atendo a porta
varro as rãs da sala
arranco os sapos da garganta
e à noite
repouso catártica 
durmo sorridente

N. S. L
23/05/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário